Visão limitada, ou nao!

Desde sempre
gostei de dirigir. Adoro pegar a estrada, assumir o volante e lidar com
sensações de poder, de controle e, principalmente, de alegria. Eu,
sozinha, ouvindo minhas músicas favoritas na estrada, um mar de asfalto à frente. È noite. Faróis acesos. Vislumbro apenas cerca de 60 metros
adiante. Pensamentos fluindo.
A visao noturna que parece limitada pelo
alcance dos faróis, abriu um portal que proporcionou revelações simples, mas que hoje vejo a diferença que podem fazer.
Abstraí de
medos e inseguranças projetados pela realidade nas estradas: má
conservação, motoristas imprudentes, violência urbana e enfoquei no
vislumbre de preciosas lições que me remetem a trajetória da evolução
espiritual.
– Definir o objetivo final, o destino, sem, entretanto,
desprezar os sinais ao longo do percurso.
– Fazer a
manutenção adequada das ferramentas que dispõe para extrair o máximo de
suas potencialidades e não ser pego de surpresa.

Autodisciplina: seguindo as indicações, obedecendo os critérios
pré-estabelecidos, diminuem-se os riscos e alcançam-se os melhores
resultados.- A
jornada é individual – o livre arbítrio nos permite escolher vários
caminhos, ainda que seja para chegar no mesmo lugar.

– Enxergar
apenas o suficiente para seguir em segurança, concentrando força e
atenção no que é necessário, no momento AGORA.
– Chegar é
recompensador, mas quanta riqueza se pode adquirir ao longo do caminho.

Na simplicidade que vemos a profundidade da vida.

Deixe uma resposta

Nome *
E-mail *
Site