E quando o que parecia ser bom agora parece ser ruim?

Jerry: Por que algumas pessoas que parecem finalmente atrair o que desejavam muito, quando essa coisa chega, descobrem que se trata de algo muito negativo? Isso as faz sofrer.

Abraham: Muitas vezes, as pessoas decidem o que querem de fato quando se encontram em um lugar muito longe daquilo que desejam. Mas, em vez de pacientemente se concentrarem em seu desejo, em vez de particarem suas vibrações até alcançarem um alinhamento vibrátil com seus verdadeiros desejos – permitindo assim que a Lei da Atração se estenda em direção ao Universo e lhes traga correspondências perfeitas -, elas se impacientam e tentam fazer seu desejo acontecer logo, lançando-se nas mais diversas ações. E, quando começam a agir antes de melhorarem o conteúdo de suas vibrações, o que elas obtém é algo sintonizado com as vibrações daquele momento, e não com seus verdadeiros desejos.
Até praticar sua vibração, muitas vezes há uma grande lacuna entre a vibração do que você de fato quer e a vibração que está oferecendo. Lembre-se de que aquilo que chega a você corresponde sempre à vibração que você está oferecendo.
Por exemplo, digamos que uma mulher tenha recentemente saído de um relacionamento infeliz, em que seu companheiro a agredia verbal e fisicamente. Ela não queria nem gostava daquilo. Na verdade, ela detestava a vida que levava com ele. Assim, a partir do que realmente não quer, ela faz uma declaração explícita daquilo que de fato quer. Ela deseja alguém que a ame e a trate com delicadeza e respeito. Mas, como se sente muito insegura sem um companheiro, quer arrumar outro imediatamente. Por isso, vai a uma festa e conhece uma pessoa que parece bastante legal. Mas não percebe que está alinhada com a vibração dominanate dentro dela. E, nesse exato momento, a vibração dominante provém do que ela não quer. Isso acontece porque as partes indesejadas do seu último relacionamento estão muito ativas dentro dos seus pensamentos do que as novas intenções estabelecidas. Ansiosa para acalmar sua insegurança, ela se joga nesse novo relacionamento – e assim recebe mais daquilo que
está dominante dentro de sua vibração.
Nós a incentivaríamos a tomar decisões mais lentamente, a passar mais tempo pensando sobre o que ela quer, até esse pensamento ser a base para a vibração dominante, e, então, deixar a Lei da Atração lhe trazer seu maravilhoso novo companheiro.

Jerry: Tudo bem, isso faz sentido. Parece um pouco com “Eles obtiveram algumas coisas que não desejavam”.

Abraham: Esse é o valor do Processo do Exercício Criativo. Quando você faz o Exercício, visualizando todas as maravilhosas possibilidades, deixando aflorar a emoção proveniente do que você realmente deseja e trabalhando para se manter concentrado no ponto em que a sensação é agradável, você receberá um pouco do que deseja. Descobrirá como transformar o que você realmente quer na sua vibração dominante e então, quando a Lei da Atração se sintonizar com os pensamentos em que você vem se concentrando, não haverá surpresa. Você começará a reconhecer a manifestação concreta das coisas maravilhosas em que sua mente se concentrou.

Do livro “A Lei Universal da Atração”, de Esther e Jerry Hicks.

Um exemplo de como superar uma crença indesejada

Jerry: Você pode dar um exemplo do que quer dizer com “superar uma crença”?

Abraham: O seu Sistema de Orientação Emocional funciona melhor quando você está irradiando intenções deliberadas e contínuas do que deseja. Digamos que em seu Exercício Criativo você pretendia ter excelente saúde e se visualizou como um ser saudável e vital. Depois do Exercício, você está almoçando com uma amiga que fala insistentemente sobre sua própria doença. Enquanto ela fala sobre a doença, você começa a sentir muito desconforto e perturbação. Nesse momento, seu Sistema de Orientação Emocional está lhe indicando que aquilo que você está ouvindo e em que está pensando – a partir do que sua amiga está falando – não se encontra em harmonia com sua intenção. Você toma então a decisão muito clara de impedir que a doença continue a ser o tema da conversa. Tenta mudar de assunto, mas, como sua amiga está muito excitada e obcecada pelo problema, ela insiste nele. Mais uma vez, os sinos de alarme do seu Sistema de Orientação Emocional começam a tocar.
O motivo pelo qual você está sentindo emoções negativas não é causado apenas pelo fato de sua amiga estar falando sobre um assunto que lhe faz mal. A sua emoção negativa indica que a conversa de sua amiga ativou dentro de você crenças que desafiam seu desejo de bem-estar físico. Não basta se afastar da amiga para mudar essas crenças. É preciso começar a mudar, direcionando- a para uma que esteja mais em harmonia com seu desejo de bem-estar físico.
Sempre que sentir emoções negativas, é útil parar e reconhecer o pensamento que estava presente quando elas vieram à tona. A emoção negativa é preciosa porque está lhe dizendo que aquilo em que você está pensando tem peso pra você e é o oposto do que realmente deseja. Portanto, perguntas como “O que eu estava pensando quando essa emoção negativa veio à tona?” e “O que de fato eu quero em relação a isso?” o ajudarão a perceber se você está, em determinado momento, concentrando em algo diretamente oposto ao que realmente deseja atrair para a sua experiência.
Por exemplo: “Sobre o que eu estava pensando quando essa emoção negativa veio à tona? Eu estava pensando que estamos na época das gripes e me lembrei de que no ano passado minha gripe evoluiu para uma pneumonia e eu tive que ser hospitalizado. O que eu quero de fato? Quero permanecer saudável este ano.”
Mas dizer apenas “Quero permanecer saudável” em geral não basta nessas circustâncias, porque a memória da pneumonia e sua crença sobre a probabilidade de pegar a gripe são muito mais fortes do que seu desejo de permanecer bem.

Tentaríamos superar nossas crenças da seguinte maneira:
*Esta é geralmente a época do ano em que pego uma gripe.
*Não quero pegar uma gripe este ano
*Espero não pegar uma gripe este ano.
*Parece que todo mundo pega gripe.
*Isso talvez seja um exagero. Nem todos ficam gripados.
*Na realiidade, durante muitos anos eu não peguei gripe.
*É bem possível que este ano eu não pegue uma gripe.
*Gosto da idéia de ser saudável.
*Aquela experiência com gripe no ano passado ocorreu antes de eu perceber que posso controlar minha experiência.
*Agora que compreendo o poder dos meus próprios pensamentos as coisas mudaram.
*Agora que compreendo o poder da Lei da Atração, as coisas mudaram.
*Não preciso pegar gripe este ano.
*Não preciso vivenciar nada que não queira.
*Posso direcionar meus pensamentos para coisas que de fato desejo vivenciar.
*Gosto da idéia de direcionar minha vida para coisas que de fato quero vivenciar.

Agora, você superou a crença. Se o pensamento negativo retornar – e talvez continue a fazê-lo por algum tempo -, direcione seus pensamentos mais deliberadamente até que, por fim, ele não voltará mais.

Do livro “A Lei Universal da Atração”, de Esther e Jerry Hicks.