ARTE DE DAR E RECEBER

A ARTE DE DAR E RECEBER
Tudo aquilo que se dá com amor e boa vontade recebe-se em
maior quantidade. A lei dos dízimos faz com que tudo que se dá –
de boa ou má vontade – volte inevitavelmente para nós,
freqüentemente multiplicado muitas vezes. É uma lei imutável
aquela que diz que as coisas semelhantes se atraem; assim tudo
que se semeia no subconsciente colhe-se no espaço sob a forma de
condições, experiências e eventos.
DÊ LIVRE E JOVIALMENTE
Uma doação em dinheiro não tem necessariamente de
corresponder a um décimo do que se possui. O décimo mencionado
na Bíblia representa uma parcela, uma idéia de grandeza daquilo
que se deseja dar livre e jovialmente.
Por exemplo, suponha que todos os domingos você contribui
com cinco dólares para a atividade espiritual da sua escolha; essa
importância deve ser dada livre e jovialmente, com benevolência e
também com um sentido de abandono, sabendo que Deus é a
fonte eterna de suprimento e que por Seu intermédio todas as
suas necessidades são instantaneamente satisfeitas em qualquer
lugar ou época. A doação dos cinco dólares não tem valor quando,
ao fazê-la, somos tomados por um sentimento de privação ou
carência. A doação forçada ou por dever ou por medo não obedece
à lei dos dízimos; tal atitude mental, muito pelo contrário, acarreta
um estado de privação.

Doacoes ao site no link acima , e confiavel o site da doacao , mais duvidas etc.. so perguntar ou comentar!!!
agradeço a todos e principalmente a deus que me da tudo !

A ARTE DE DAR E RECEBER

Tudo aquilo que se dá com amor e boa vontade recebe-se em
maior quantidade. A lei dos dízimos faz com que tudo que se dá –
de boa ou má vontade – volte inevitavelmente para nós,
freqüentemente multiplicado muitas vezes. É uma lei imutável
aquela que diz que as coisas semelhantes se atraem; assim tudo
que se semeia no subconsciente colhe-se no espaço sob a forma de
condições, experiências e eventos.

A LEI MÁGICA DOS DÍZIMOS

A palavra dízimo significa um décimo, porção dos
rendimentos do homem dedicada a fins religiosos desde tempos
imemoriais. Desde as mais remotas eras, dízimos da produção
anual dos campos, frutas e rebanhos eram postos a serviço de
Deus pelos povos que habitavam as terras que iam da Babilônia a
Roma.
A falta de uniformidade existente na Bíblia no que se refere à
lei dos dízimos é devido principalmente ao fato de que o princípio
geral de dar era praticado de modo diferente nas diversas eras e
também por estar sujeito a normas que variavam com as pressões
políticas e religiosas.
A lei dos dízimos é uma das leis fundamentais da vida e sua
prática perde-se na antiguidade. O fazendeiro tem de aplicá-la na
ocasião da colheita; seu dízimo é um décimo dos cereais, do milho,
da cevada e da aveia de que ele necessita para a nova semeadura,
sem o que não mais terá o que colher.
O modo ideal de aplicar o dízimo à sua riqueza é destinar
uma certa parte do seu dinheiro, terras, ações ou qualquer outro
tipo de bens materiais à propagação da Verdade; isto é geralmente
feito através das igrejas ou das atividades dedicadas à
disseminação das verdades eternas de Deus.