DEFRONTANDO- SE COM O MEDO DO SUCESSO

DEFRONTANDO- SE COM O MEDO DO SUCESSO

Por Jelaila Starr

Dando continuidade ao artigo Defrontando- se com o Medo de se Endividar, este artigo ainda que seja sobre o medo do sucesso financeiro, refere-se especificamente ao medo consistente do sucesso financeiro. Este medo se manifesta como uma inabilidade para ganhar dinheiro consistentemente, o suficiente para acumular a quantia necessária para criar uma base financeira sólida e sustentá-la. Em outras palavras, nós começamos a ganhar dinheiro e alcançamos o ponto onde finalmente podemos fazer alguma reserva e então somos abruptamente interrompidos por alguma crise ou por outra situação. Poderá ser uma doença ou um acidente de carro ou alguma fatura inesperada que muda o nosso foco, levando-nos a perder o nosso momentum. Se este ciclo ocorre mais de uma ou duas vezes em sua vida, isto é considerado um bloqueio.

Para mim, tem sido um bloqueio em minha vida. Eu tenho passado por este ciclo pelo menos uma vez a cada seis anos. Cada ocorrência leva um longo tempo, até anos, para retornar ao mesmo nível de produtividade e de prosperidade. E ao falar sobre a dor emocional, se vocês tiverem este bloqueio, eu nem tenho como lhes dizer sobre o golpe devastador que este bloqueio pode ser para nossa auto-estima, sem mencionar a humilhação e a vergonha de perder tudo o que foi ganho após tão árduo trabalho.

Eu tenho buscado a resposta para este problema por vários anos, trabalhando com terapeutas e lendo um grande número de livros de auto-ajuda, mas não recentemente eu compreendi finalmente o bloqueio e como esclarecê-lo. A resposta veio através de dois manuais muito poderosos de Pam, uma cliente minha, em uma sessão de aconselhamento. Em uma de suas questões, ela tinha solicitado ajuda para esclarecer este mesmo bloqueio de sua vida. Sua resposta me surpreendeu e me deixou perplexa porque por ser de natureza multidimensional, foi franca, simples e clara. E pelo fato desta ferramenta ter estado diante de mim por anos, ela não me escapou como eu expliquei a Pam. Além de ferramentas multidimensionais típicas, é a forma com que as peças se encaixam que faz com que elas sejam tão surpreendentemente eficazes. Um grande exemplo disto é a Fórmula da Compaixão, a primeira ferramenta multidimensional que eu recebi de volta em 1996.

Abaixo está uma explicação da informação dos manuais que Pam me deu. Eu acho que vocês perceberão como eu, a solução simples e clara para esclarecer este padrão devastador em nossas vidas. Mas por ser de natureza multidimensional, para compreender e aplicá-la, nós devemos: a) compreender este bloqueio às avessas. Isto significa o seu padrão (a forma como usualmente ele se manifesta), o medo que estimula o padrão e as crenças que sustentam o medo, e b) os conceitos que formam a base da ferramenta multidimensional usada para esclarecê-lo.

O BLOQUEIO

Segundo a minha compreensão, este bloqueio tem três componentes e graças aos manuais de Pam, nós fomos capazes de identificar cada um deles.

As crenças – as crenças que criam o medo e consequentemente, os padrões de comportamento, são:

– É mais abençoado dar do que receber.

– É prejudicial ser egoísta; somente os pecadores são egoístas.

– As mulheres são educadoras e os homens são os provedores.

– Quando colocamos as necessidades dos outros antes da nossa, nós somos melhores pessoas.

– Aqueles que dão mais são melhores, são mais dignos e mais aceitáveis do que aqueles que dão menos ou pedem para receber de volta.

– É minha a responsabilidade de me certificar que aqueles que me amam estão felizes, seguros e satisfeitos. Se, por alguma razão, eu fui incapaz de assegurar estas três coisas, então é que eu não fui suficientemente bom, suficientemente inteligente, suficientemente consciente ou até pior sendo egoísta porque eu estava focalizado em mim.

Estas não são necessariamente todas as crenças, mas elas são as mais comumente encontradas neste bloqueio.

O MEDO – o medo de que seremos julgados por não sermos suficientemente bons, ou suficientemente dignos ou egoístas se não fizermos o que se deve para cumprir os nossos compromissos e responsabilidades indiferentemente se eles são necessários.

O PADRÃO – o ciclo variável da prosperidade que é causado pela atribuição da Criança Interior (CI), um bloqueio na produção do gasto da energia diária (eu voltarei a isto em um minuto também).

Agora vamos observar os conceitos necessários para compreender esta nossa ferramenta multidimensional.

A CRIANÇA INTERIOR

De acordo com a minha compreensão, a Criança Interior é a criança que está dentro de nós que é inocente, brincalhona, criativa, e incondicionalmente amorosa. E como uma criança verdadeiramente animada e espirituosa, a Criança Interior vive no momento sem pensar no amanhã. Em determinado ponto esta criança desenvolverá um lado temeroso como uma criança animada e espirituosa que resulta de experiências dolorosas. Em seu aspecto mais positivo este lado baseado no medo é usado para trazer proteção para a criança, evitando-lhe o perigo. De uma perspectiva multidimensional, este aspecto da Criança Interior baseado no medo, é conhecido como Ego. Para uma compreensão mais completa da Criança Interior/Ego multidimensional, está disponível uma lista de leituras no final deste artigo.

No trabalho médico da Criança Interior, também se compreende que a Criança Interior acredita que ele/ela é o corpo e, portanto, se expressa usando a linguagem do corpo, a linguagem das sensações físicas tais como formigamentos, inchaços, contrações musculares, sofrimentos, dores, erupções da pele, angústia, etc…

A Criança Interior/Ego acredita que o trabalho dele/dela é mantê-los seguros no corpo de modo que vocês possam completar a sua encarnação, e que este trabalho é equivalente à existência dele/dela. Em outras palavras, o foco primordial da Criança Interior/Ego, é a sobrevivência – no momento – a qualquer custo. Elas acreditam que muita dor física e/ou emocional pode levar o corpo à morte e assim levá-las à morte… E elas não querem morrer! Portanto, o lado do Ego da Criança Interior usa o medo como a sua principal forma de comunicação tanto quanto a ferramenta principal para nos manter vivos. Com relação a este bloqueio, como afirmei anteriormente, a Criança Interior/Ego o criou para nos salvar e não para nos prejudicar.

DISPÊNDIO DE ENERGIA

O dispêndio de energia é a quantidade de energia (energia física e emocional) que nós gastamos a cada dia. Compreendo que cada um de nós tem um limite da quantidade de energia que podemos gastar diariamente. O limite se baseia em nossa saúde física e emocional e nas variáveis do dia a dia. Uma vez que este limite seja alcançado, nós experienciamos a fadiga, tanto física, como mental ou emocional ou todas as três.

DISPÊNDIO DE ENERGIA E A CRIANÇA INTERIOR

A fadiga é parte da linguagem da Criança Interior. Através da fadiga, ele/ela nos fala se ele/ela precisa descansar e se reenergizar. A Criança Interior se reenergiza fisicamente através do sono e se reenergiza emocionalmente através da diversão. Divertir-se é reenergizar- se. Imaginem isto! Mas, se ultrapassarmos este limite, nós exaurimos nossas reservas de energia e a Criança Interior terá que receber muita energia necessária das áreas tais como articulações, ossos, músculos, etc. para manter o corpo funcionando. Se fizermos isto muito frequentemente o nosso corpo começará a entrar em colapso, levando-nos à dor física e emocional. Nós não podemos exaurir consistentemente o corpo de níveis críticos de energia sem experienciar as conseqüências.

Se a Criança Interior/Ego conclui que não ouvimos e que temos um hábito de exaurir consistentemente as nossas reservas, ele/ela começará a nos impedir de fazer estas coisas que levam ao colapso. Quando estamos prestes a conquistar o sucesso financeiro consistente, nós experienciamos esta forma de bloqueio como uma crise ou outro evento que nos tira do caminho, retardando-nos de modo a perdermos o nosso momentum. Quando perdemos o nosso momentum, nós diminuímos a quantidade diária de energia, que era necessária para manter o dinheiro fluindo a este nível mais elevado. Este decréscimo permite à Criança Interior/Ego a começar a reabastecer as nossas reservas de energia, agora severamente deficientes, para estabilizar o corpo.

Agora vocês poderiam perguntar, por que o nível mais elevado de prosperidade causa tal medo na Criança Interior que o/a leva a reagir desta maneira? Não são os medos da Criança Interior de ter dinheiro, é o esgotamento diário em relação à vida ao adquirir o dinheiro que ele/ela teme! Se ultrapassarmos habitualmente os nossos limites, a Criança Interior/Ego, começará a bloquear o fluxo da força de energia, de qualquer maneira que funcione para nos manter vivos. Que conceito! Eu aposto que vocês estão dizendo, "Ah! De algum modo eu sabia disto!" Perdoem-me pela cansativa explicação, mas quando se trabalha com conceitos multidimensionais, nós temos que conduzir os saltos da consciência em pequenos passos ou isto não fará sentido.

A FERRAMENTA: O CÁLCULO DA ENERGIA

Os manuais de Pam usavam uma analogia simples, mas muito eficaz ao usar tal ferramenta para clarificar este bloqueio. Eles usavam a analogia de uma conta corrente e a chamavam de "Contagem da Energia". A Contagem de Energia é uma conta corrente que está dentro do seu corpo e a quantidade de reais no depósito é a quantidade de energia que vocês têm que gastar. A quantidade normal que vocês têm no depósito quando começam o seu dia é de $200 reais. Uma vez que vocês os esgotam, vocês experienciam a fadiga. Vocês têm que parar, descansar e permitir ao seu corpo uma recarga (depositar mais dinheiro na conta).

Se vocês continuam a impulsionar a fadiga, vocês ficam sem fundos em sua conta. Quando isto acontece a sua Criança Interior sente este esgotamento no corpo e comunica este esgotamento como uma forma de dor física tais como dor de cabeça, dores nas costas ou tontura. Se estes excessos de saque continuam, os desequilíbrios que eles criam podem se manifestar como uma doença muito séria, ou se a Criança Interior acredita em uma doença, não parará este padrão de esgotamento de energia ao qual ele/ela recorre ao usar bloqueios. Os bloqueios é o último recurso para a Criança Interior/Ego. Por quê? Porque os bloqueios persistem mais do que as doenças e porque eles persistem mais, a Criança Interior/Ego acredita que eles têm uma melhor chance de receber a nossa atenção. Os bloqueios agem como uma barragem. Eles impedem todo tipo de padrões de levar o corpo a perder muita energia. E porque estes bloqueios podem ser muito fortes, eles se transferem de existência a existência.

Agora que sabemos qual é a ferramenta que pode clarificar o bloqueio, nós temos que fazer o trabalho externo para usá-la. Isto envolve reconhecer e admitir os nossos limites, estabelecer critérios para proteger estes limites, e fazer acordos para deixar que outros saibam quais são estes limites.

RECONHECER E ADMITIR NOSSOS LIMITES

A fim de estabelecer limites em nossa energia, devemos primeiro saber quais são os nossos limites. Agora isto é difícil para muitos de nós empreendedores, porque não queremos admitir que o nosso limite de energia seja menos do que o que precisamos. Reconhecer conscientemente isto é de algum modo assustador porque quando admitimos isto para nós mesmos, nós não podemos mais nos esconder desta verdade ou justificar os nossos excessivos dispêndios de energia. Quando eu dei este passo, isto criou em mim todos os tipos de medo. Por exemplo, criou em mim o medo de que eu não seria capaz de fazer pelos outros tanto quanto eu sentia que eu precisava, a fim de ser amada e aceita. Isto significava que eu teria que fazer o inexprimível: dizer "Não". Ó, meu Deus, eu sentia que o meu estômago revirava diante disto. Sim, admitir estas causas de todos os nossos medos de não ser suficientemente bom, ou suficientemente forte, seja lá o que for. Para nós, zeladores, isto impulsiona estes medos junto com o medo acerca da nossa auto-estima.

Se a nossa auto-estima depende de outros, admitir este limite pode ser inicialmente um verdadeiro golpe. Mas as boas notícias é que admitir o nosso limite de energia nos permite a acessar a nossa Criança Interior e através da confiança que criamos com ela/ele, começará o processo de mudar a base de nossa auto-estima em direção a nossa valorização (amor próprio).

Quando reconhecemos o nosso verdadeiro limite diário com a nossa Criança Interior, nós estamos em essência dizendo, "Está certo, eu sei que eu tenho somente$150, 00 de energia para gastar hoje ao invés de $600,00". Uma vez que admitamos isto para a nossa Criança Interior, ele/ela começará a relaxar um pouco e se sentirá esperançosa de que não continuaremos a exaurir os nossos corpos da mesma maneira.

ESTABELECER LIMITES

Estabelecer limites significa analisar intensamente e honestamente em que queremos gastar a energia a cada dia, baseados no montante que queremos gastar. Eu resisti imediatamente a isto porque eu queria fazer tudo. Eu não queria apenas realizar tudo, eu precisava realizar tudo, porque isto me dava um sentimento de realização e me fazia sentir que estava no controle de minha vida. O fato de não fazer tudo me deixava fora do controle, sem me satisfazer e insegura. E dependendo do nível de importância, em que eu colocava alguns destes itens, eu teria um desânimo e depressão quando eu não os completava. Minha auto-estima se ligava a minha habilidade de deixar tudo feito, ser responsável e estar lá se alguém precisasse de mim, não importando onde ou quando.

Estabelecer limites significava que eu tinha que selecionar e escolher entre as coisas em minha Lista do que fazer a cada dia. Priorizar pessoas e ocupações se tornou um tópico principal em minha vida. Para ultrapassar o bloqueio para o meu sucesso financeiro eu tinha que estar desejando lidar com a priorização. Basta dizer que quando eu acompanho o fluxo e libero alguns dos itens da minha lista, recuso ou renegocio compromissos, sigo o meu próprio ritmo, e deixo somente uma parte das coisas feitas, eu termino o meu dia emocionalmente, mentalmente e fisicamente calma e equilibrada.

ESTABELECER FRONTEIRAS

Estabelecer divisas é, em essência, limites, exceto que eles definem o limite externo onde nós terminamos e os outros começam. Charles W. Whitfield, autor de FRONTEIRAS E RELACIONAMENTOS, define as fronteiras como até onde podemos ir com conforto em um relacionamento.

Com relação a este bloqueio e aos limites de gasto de energia, nós precisamos determinar onde colocar as fronteiras em cada área de nossas vidas. Desde que gastamos energia para as necessidades físicas, mentais, emocionais e espirituais, precisamos estabelecer fronteiras em cada uma destas áreas. Eis aqui um exemplo pessoal de se estabelecer limites e fronteiras. Eu percebi que ao estabelecer fronteiras em meu negócio seria particularmente desafiador a princípio. Eu estava receosa de que se o fizesse, perderia os clientes. Ainda que eu odiasse que tirassem vantagem, havia ainda esta velha gravação em minha cabeça que dizia, "Esteja lá, esteja disponível, pois isto satisfaz aos clientes e expande os negócios", e continuava tocando. Sim, eles estavam satisfeitos, mas eu não. Eu estava emocionalmente, fisicamente e mentalmente exaurida, e isto não foi muito antes que o meu entusiasmo pelo trabalho desaparecesse; Eu não tinha mais motivação. Assim, a fim de conquistar o controle de minha vida e me motivar novamente, eu me sentei e anotei uma lista de necessidades. A partir do momento em que sou uma escritora, uma conselheira e tenho produtos para vender, eu tinha que estabelecer limites em cada uma destas áreas de meu negócio. Em seguida, estabeleci limites baseados nestas necessidades.

Como conselheira, eu tenho fronteiras e limites em torno das minhas sessões de aconselhamento. Eu assumo somente 12 sessões por semana, em três dias designados, com um máximo de quatro por dia, em horários designados. Eu não as estabeleço antes do meio-dia e não as assumo após as 18: horas. Se um cliente quer uma sessão em um horário que não seja em algumas das minhas lacunas de horários designados, eu não a farei e as encaminharei. Se eles não podem fazer a sessão em um dos meus dias designados, eu farei o mesmo. Se eu não fizer isto, os clientes compreendem rapidamente que eu não tenho quaisquer fronteiras e, portanto, podem ser chamados para o aconselhamento a qualquer momento do dia ou da noite, reforçando assim esta velha gravação mencionada acima.

A coisa mais importante a lembrar sobre as fronteiras, é que as pessoas respeitarão as suas fronteiras somente se vocês fizerem o mesmo. Se vocês não mantêm as suas fronteiras, vocês não podem esperar que outros façam isto por vocês.

Uma vez que tenhamos começado a estabelecer estas fronteiras, nós devemos dar o passo final e deixar outros saberem quais são as nossas fronteiras. Nós fazemos isto ao fazer acordos.

FAZER ACORDOS

Um acordo é um arranjo verbal ou escrito pelo qual é realizado um conjunto designado de necessidades. Neste exemplo, um acordo é como nós deixamos outros saberem quais são as nossas necessidades e nossos limites de energia e onde está demarcada a linha de fronteira. Através de nossos acordos, nós deixamos outros saberem em que extensão nós gastaremos a energia para qualquer coisa ou situação particular. Por exemplo, eu tenho um acordo com a minha Criança Interior relacionado ao exercício. Eu concordo em fazer o meu exercício pela manhã, por um mínimo de 30 minutos, durante 5 dias por semana. Este é um pacto sagrado entre ela e eu, e é um dos modos no qual eu posso criar confiança e mostrar amor próprio. Assim, como eu mantenho esta fronteira e honro o meu acordo do exercício em meus relacionamentos com outros? Com o meu marido e o meu filho, eu os deixo saber que este é meu horário de exercício e eles têm que contar com eles mesmos durante este tempo. Nos negócios, eu não começo a trabalhar até que cumpra a minha rotina de exercício. Em cada área de minha vida, eu criei acordos para que outros saibam desta necessidade.

Aqui estão algumas dicas adicionais para que tenham em mente sobre os limites, as fronteiras e os acordos:

– É necessário um tempo para se imaginar quais são os seus limites de energia.

– É necessário um tempo para imaginar onde deveriam ser estabelecidas as fronteiras para a sua energia.

– Os acordos são feitos sem as necessidades e são mais bem estabelecidos quando aquelas necessidades se tornam mais claras.

– Os acordos funcionam somente quando todos os que estão envolvidos atendem as suas necessidades.

– Os acordos são renegociáveis quando as necessidades mudam.

– Sejam pacientes com vocês mesmos e com a sua Criança Interior. O Amor-Próprio (amar a nossa Criança Interior), é desenvolvido através da paciência ao encontrar limites e determinar as nossas necessidades, criando a confiança através da integridade e passando pela aceitação de nossas imperfeições, e a gentileza para conosco quando não acertamos.

Nós podemos aplicar a Ferramenta da Contagem da Energia com os limites, fronteiras e acordos. Aplicar esta ferramenta em minha vida tem sido uma experiência maravilhosa de cura. Eu percebo que quando eu estou esclarecida sobre os meus limites, mantendo estes limites através das fronteiras e negociando acordos para preservá-los de outros, eu fico mais equilibrada, calma e satisfeita. Isto, por sua vez, conduz a uma criatividade maior porque eu estou centrada com energia suficiente em meu segundo chacra para que isto ocorra.

Finalizando, eu espero que esta explicação do Bloqueio ao Sucesso Financeiro Consistente e os exemplos de como usar a Ferramenta da Contagem de Energia, os ajudem a clarificar este bloqueio de sua vida. A Prosperidade Financeira é o seu direito nato. Nós temos apenas que clarificar os bloqueios de nosso caminho a fim de conquistá-la.

Com as mais abundantes bênçãos,

Jelaila Starr

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@ yahoo.com. br

Repassando:Lucia Beatriz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.