A Força do Pensamento – William Walker Atkinson

Capítulo XI – Força Atrativa do Pensamento – Sua Ação na Vida e nos Negócios.

WILLIAM WALKER ATKINSON foi advogado, comerciante e escritor norte-americano nascido em 1862 e falecido em 1932. Foi editor responsável pelas revistas “Suggestion” (1900-1901), “New Tought” (1901-1905) e “Advanced Thought” (1906), em Chicago. Dedicou-se à difusão da Filosofia Yogue e do Ocultismo Oriental no ocidente, sendo considerado pelo povo da Índia como uma autoridade no assunto. Contribuiu para a formação das bases de uma nova concepção para a Psicologia e um novo Pensamento a respeito do mundo mental e sua relação com a realidade espiritual do homem.

Se os pensamentos tivessem cores (há pessoas que o afirmam), veríamos os nossos pensamentos de receio e de inquietação rastejando pelo solo, como nuvens sombrias e espessas; e os nossos pensamentos alegres, felizes e esperançosos, nossos pensamentos “POSSO” e “QUERO” seriam visíveis, misturando-se a nuvens semelhantes e movendo-se rapidamente em massas transparentes muito acima das emanações densas e nauseabundas, provenientes de pensamentos de receio, inquietações e de “Não posso”. Qualquer que seja a distância que as ondas dos vossos pensamentos percorram, conservar-se-ã o sempre, até certo ponto, em contato convosco e exercerão a sua influência, tanto em vós como em vossos semelhantes. Não é fácil desfazer-se alguém destes “filhos da alma”. Se já projetastes maus pensamentos, sereis vós uma das suas vítimas e tudo quanto puderdes fazer para neutralizar a sua influência será projetar novas ondas de pensamentos fortes e bons ou criar uma radiação mental que fortaleça o vosso “Êxito”.

A tendência que as ondas de pensamento têm é um exemplo frisante do velho ditado: “Os semelhantes se reúnem”. É a essa tendência que se chama Força atrativa do pensamento. A manifestação dessa faculdade do pensamento é um dos fenômenos mais frisantes no domínio psíquico.

Pensamentos de receio e de inquietação atrairão outros da mesma espécie e confundir-se-ã o com estes. Donde se conclui que não só sereis influenciado pelo pensamento da vossa alma, mas também pelos que foram produzidos pela alma do próximo, formando o todo um fardo pesadíssimo. E quanto mais persistirdes em tal caminho de pensamento, mais pesado se tornará o fardo.

Se, pelo contrário, alimentardes pensamentos alegres e felizes, eles atrairão pensamentos similares e sentir-vos-eis mais felizes, mais alegres e mais contentes pelas suas influências combinadas. Isto é rigorosamente verdadeiro, mas não há necessidade de aceitá-lo sem prova alguma. Se fizerdes a experiência, acompanhai o resultado de uma fé absoluta no êxito e obtereis resultados mais rápidos e mais satisfatórios. Os pensamentos de medo e de dúvida pouca força exercem, em comparação com os pensamentos expectantes e cheios de confiança. Suponhamos que os vossos pensamentos tomem um caráter de “medo de experimentar” , de desânimo, de falta de confiança, de “sei de antemão que nada obterei”. Que sucederá então? Atraireis força de sombrios pensamentos da mesma espécie e vereis que, com efeito, “não podereis”, e que toda gente, de resto, será da mesma opinião. Mas tomai ânimo, alimentai pensamentos ousados, formai o “Eu posso e quero”, e atraireis as ondas de pensamentos similares, congêneres dos vossos, e estes vos estimularão, vos darão força e vos ajudarão a atingir o vosso fim.

Se projetardes no espaço pensamentos de ciúme e cobiça, estes vos virão em companhia de pensamentos semelhantes e por eles sereis afetados até o momento em que a impressão se desvaneça. É assim que ondas de ódio virão ter convosco, fortificadas e mais poderosas no decurso da sua viagem. O antigo adágio: “Paga-se na moeda em que se recebeu”, contém uma verdade muito mais profunda do que a maioria dos homens pensa.

Pensamentos coléricos suscitam na outra pessoa pensamentos coléricos (a não ser que esta se tenha mantido num estado de alma positivo), e ela reenvia as ondas de pensamentos recebidos. Além disso, outros pensamentos coléricos se juntam a estes e ajudam o trabalho pernicioso. Tendes ouvido dizer que “o homem acha o que procura”. É naturalíssimo; nada ele pode, visto que o seu pensamento atrai o pensamento similar e vê um mundo que tem a cor dos vidros dos óculos da sua alma.

Os bons pensamentos atraem bons pensamentos; os maus pensamentos atrairão os maus. Se odiais alguém e dirigis para ele pensamento de ódio, em paga vereis um mundo odiável. No mundo do pensamento, recebereis o que tiverdes dado – e com usura. Projetai pensamentos benévolos, e pensamentos benévolos vos serão devolvidos com juros e achar-vos-eis em face de um mundo benévolo e auxiliador. Enfim, ganhareis. Ainda que partais de um ponto de vista egoísta, é vantajoso formardes pensamentos benévolos.

Se procederdes assim, intimamente, durante um mês, por exemplo, dareis por uma diferença enorme em tudo, mas principalmente em vós próprio; o vosso mundo de pensamento de ontem apresentar-se- vos-á com a sua forma real, isto é, medíocre, baixa e miserável, e não vos inspirará senão desgosto e repulsão; não quereis voltar a ele nem por todas as riquezas do mundo. Antes do fim do mês, tereis consciência de que as ondas mentais vos voltam e sentireis toda a força socorredora delas e a vida parecer-vos-á completamente diferente. Experimentai sem demora e vereis que não vos haveis de arrepender.

Há duas categorias de pensamentos que são particularmente nocivas e a essas há que fazer uma guerra encarniçada, sem tréguas nem repouso, até que as arranqueis da raiz. Vereis que, uma vez que tiverdes exterminado essas duas, as outras desaparecerão, por assim dizer, por si mesmas. Quero dizer: o Medo e o Ódio. Estas duas ervas ruins são o pai e a mãe da maior parte das outras. A Inquietação é a filha mais velha do Medo e parece-se muito com ele. A Inveja, a Maledicência e o Furor pertecem à casta que reconhece o Ódio por pai. Exterminai os pais e não tereis que vos ocupar dos descendentes.

O que é necessário para prosseguir obstinadamente um ideal mental é, antes de tudo, um desejo ardente (não um simples desejo); em seguida, uma fé absoluta no vosso poder de atingir um fim (não apenas uma opinião hesitante), e enfim , a resolução inabalável de ganhar a causa (não apenas “Podereis muito belamente experimentar” , sem nervo e sem vigor).

As qualidades da alma supramencionadas vos farão o caráter, torna-lo-ão próprio para o desempenho das suas funções, visto que o pensamento toma forma em ações; sereis por ela dotados de forças poderosas para influenciar os vossos semelhantes e produzirão ondas de pensamento. Se tendes pensamentos de “Não posso”, projetais no espaço vibrações que suscitarão nos vossos semelhantes o sentimento de que com efeito não podeis; estas não vos serão de nenhuma utilidade, não terão necessidade alguma de vós. O mundo não se sente atraído para as pessoas “Eu não posso”. Esta forma de pensamentos cria circunstâncias que antes repelem do que atraem. O instinto de conservação de si mesmo levará homens a fugir dos indivíduos com quem tratam.

Criai o pensamento “Posso e quero”, e as ondas vibratórias propagar-se-ã o alegremente carregadas de mensagens animadoras, o mundo achar-se-á fortemente atraído para vós e os vossos triunfos hão de seguir-se uns aos outros. Os homens fortes sentirão que entre vós e eles existe afinidade secreta e terão gosto em cooperar convosco. Os indivíduos fracos sentirão a vossa força; sentirão a necessidade de vosso auxílio e serão influenciados por vós e por vós atraídos, sem terem consciência disso. Eis um exemplo de faculdade atrativa do pensamento. Experimentai.

Atrairá a vós pessoas que tem precisão dos vossos serviços do que vós tendes para oferecer e assim tirarão partido do vosso proveito.

Atrairá para vós as pessoas que querem auxiliar-vos a tomar a peito os vossos interesses.

Nunca encontrastes alguém para o qual vos sentistes atraído, sem o conhecer?

E nunca ajudastes ninguém em semelhantes circunstâncias?

Certamente que isso vos há de ter acontecido. E por que? Por que gostais de proteger uns e sentis repugnância em fazer a mesma coisa por outros que não são, de modo algum, inferiores aos primeiros? E eis também a sua única razão. Pois bem, a mesma faculdade do pensamento atrairá para as outras pessoas, cujas vibrações se harmonizem com as vossas, e achareis, como por instinto, os indivíduos que serão capazes de vos prestar serviços de vos auxiliar.

Digo-vos que conseguireis tudo quanto desejardes, se quiserdes reconhecer esta lei.

É coisa esta muito extraordinária e muito difícil de explicar (a não ser que me embrenhe convosco na abrupta metafísica); mas o vosso triunfo parece depender absolutamente do grau de FÉ que tendes na força. Uma fé hesitante não oferecerá senão resultados imperfeitos, ao passo que uma fé convicta, firme e acompanhada da convicção de que “tereis o que quiserdes”, fará milagres. Conservai essa fé e acompanhai-a de um desejo ardente e triunfareis. “Pedi, e recebereis; batei, e abrir-se-vos-á “; mas acompanhai o pedido e a pancada de uma fé inabalável e de confiança no êxito.

Helen Wilman disse: “Aquele que ousa reconhecer o seu ‘eu’ pode esperar serenamente, porque o destino rápido realizará certamente os seus desejos.”

Mas as palavras “esperar serenamente” referem-se sem dúvida alguma, ao estado de alma e exprimem a esperança serena e firme de uma “coisa que certamente acontecerá”.

Isto não quer dizer que o homem deva sentar-se de braços cruzados e “esperar serenamente” que o “destino rápido” lhe lance os triunfos de regaço. Ah! não. Nunca foi a intenção de Helen Wilman dizer semelhante coisa – que esse não é o seu caráter.

O homem dentro do qual impera um desejo ardente e cujas impulsões do pensamento são concentradas, não se senta para esperar como espectador indiferente às coisas que vão passar-se; só com detrimento da faculdade que lhe permite prosseguir e perseverar seriamente no seu ideal ele faria isso. O pensamento manifesta-se na ação; quanto mais forte for o pensamento, mais enérgica será a ação.

Pode acontecer que desejeis alguma coisa da maneira menos própria para adquiri-la e de que estejais convencido que está na vossa mão apossar-vos dela e, contudo, prosseguindo no vosso intento o melhor que podeis, estais em vias de consegui-la.

Direi com Garfield: “Não espereis que coisa alguma venha até vós; levantai-vos e ide à procura dela.” E durante todo o tempo, esperareis confiadamente a coisa, obedecendo à vossa ordem. Com grande pesar meu, o limitado espaço não me permite enumerar-vos os resultados maravilhosos desta maneira de pensar e mal posso deter-me um instante para vos pedir a atenção para o funcionamento da lei. Mas depois de tudo, deve-se ter aprendido uma coisa por experiência para poder aperfeiçoar a verdade. O “Êxito” não pode ser completamente satisfeito de outra maneira. Espero que quem ler este capítulo se dará à prática deste método do Novo Pensamento.

A princípio tereis que me dar crédito, sem ter provas palpáveis da verdade do que avento, mas em breve as vossas experiências pessoais vos demonstrarão claramente esta verdade e estarei em caminho de triunfar.

TUDO É VOSSO, COM A CONDIÇÃO DE QUE VÓS, MUITO A SÉRIO, QUEIRAIS QUE O SEJA.

Reflete nisto. Tudo! Experimentais. Experimentai com seriedade e obtereis. É uma lei poderosa que vos espera.

“Você pode introduzir em sua vida mais poder,
mais riqueza, mais saúde, mais felicidade e mais alegria,
descobrindo como entrar em contato
e libertar o poder oculto de seu subconsciente. ”
(Dr. Joseph Murphy)

“VOCÊ NÃO LUTA PELA PAZ, VOCÊ PACIFICA PELA PAZ.” (David Icke)

“Matéria é a energia reduzida a ponto de visibilidade” (Albert Einstein)

6 respostas para “A Força do Pensamento – William Walker Atkinson”

  1. Esse livro é realmente espetacular. Surgiu do nada há décadas atrás, li e apliquei, depois sumiu tão misteriosamente quanto apareceu. Mas deixou liçõies que apliquei e deram resultados definitivos pra mim.
    Vou recomprar, todos desse autor.
    É fantástico, acredite quem quiser (literalmente!).
    abraço, feliz 2009 !

  2. Se você pretende comprar todos os livros dele é bom juntar dinheiro… William Walker Atkinson escreveu mais de cem livros, sob diversos pseudônimos. Muitos deles são editados até hoje, como seuslivros de ioga escritos com o nome “Yogue Ramachacara”. Outro livro famoso seu é o Kybalion, sob o pseudônimo “Três Iniciados”. Muitas das idéias de Atkinson são recicladas até hoje por autores de auto-ajuda, mas poucos se comparam à clareza do “Força do Pensamento”.

  3. Gostei as idéias e maneiras dele era muito parecidas com de Prendice Mulford outro veterano de outra época bem i tenho uma pequena frase para os leitores ” Como era no começo, assim que é agora e sempre será.Há apenas mundo infinito em todo o Universo e todos nos somos manifestações individualizadas pois estamos praticamente todos o ser Único, uma vida agora e para sempre. Tudo é mente tudo é sabedoria Mente Infinita e sua manifestação Infinita porque Deus o senhor todo poderoso é tudo em todos, e amor é a realidade aterna da vida e do nosso ser. ” espero que gostem adoro insentivar iniciantes 09/05/2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.